Diário de Viagem: Conhecendo o Palácio Nacional de Sintra, em Portugal


Como já havíamos falado em posts anteriores, o nosso roteiro de viagem para a Europa foi todo feito pela CVC, e este foi mais um dos passeios de 1 dia que fizemos. Desta vez, a cidade que conhecemos foi Sintra, a 28km de Lisboa, Portugal. 
Diário de Viagem: Conhecendo o Palácio Nacional de Sintra, em Portugal

Diário de Viagem: Conhecendo o Palácio Nacional de Sintra, em Portugal

Diário de Viagem: Conhecendo o Palácio Nacional de Sintra, em Portugal


Sintra é Patrimônio Cultural da Unesco desde 1995, refletindo uma gama de estilos arquitetônicos e uma paisagem de interior: ruas estreitas, pessoas a pé, bares e cafés super gostosos. 

Diário de Viagem: Conhecendo o Palácio Nacional de Sintra, em Portugal
paradinha para o café e o pastel de nata

Sintra nos fazer reviver a história. Suas calçadas, seu ar, seu estilo, tudo nos remete a uma reflexão de tempo que eleva a alma – e o prazer de viajar.

Informações úteis

Para viajar para Portugal, nenhuma vacina é obrigatória. Viajamos em Novembro, final do outono, onde as temperaturas estão amenas – aposte em camadas de roupas para os horários mais quentes ou mais frios do dia. A língua é o Português, e você não pode deixar de conhecer o Pastel de Belém (pastel de nata!). 

Diário de Viagem: Conhecendo o Palácio Nacional de Sintra, em Portugal

Palácio Nacional de Sintra

Fomos direto para o Palácio Nacional de Sintra: remonta a um primitivo palácio doado pelo rei João I de Portugal ao conde de Seia, em 1383, voltando para a posse real pouco depois.

Diário de Viagem: Conhecendo o Palácio Nacional de Sintra, em Portugal

Havia uma pequena fila grupos turísticos. O valor do ingresso estava incluído no pacote, mas custa 8 euros.

O palácio foi reedificado no século XV, a partir de 1489, quando foi iniciada uma campanha de obras, redecorando com os azulejos.

Diário de Viagem: Conhecendo o Palácio Nacional de Sintra, em Portugal

Nos últimos anos do regime monárquico foi a residência de verão da rainha-mãe D. Maria Pia, a última habitante régia do Paço da Vila de Sintra, onde foram oferecidas várias recepções luxuosas.

A Sala dos Brasões no Palácio Nacional de Sintra, cuja cúpula ostenta as armas de D. Manuel I, de seus filhos e de setenta e duas das mais importantes famílias da Nobreza, é um dos ambientes mais belos do passeio. O revestimento das paredes data do século XVIII, obra de grandes mestres da azulejaria lisboeta.

Destaque para os quadros e tapetes, que são indescritíveis de tanta beleza.

Diário de Viagem: Conhecendo o Palácio Nacional de Sintra, em Portugal

Os compartimentos internos refletem-se em núcleos organizados em torno de pátios. Destacam-se os seguintes: a Sala dos Archeiros, a Sala Moura (ou dos Árabes), a Sala das Pegas, a Sala dos Cisnes e a Sala dos Brasões — que ostenta a representação das armas de 72 famílias nobres portuguesas e dos oito filhos de D. Manuel I —, a Sala das Sereias e a Sala da Audiência.

Diário de Viagem: Conhecendo o Palácio Nacional de Sintra, em Portugal

Diário de Viagem: Conhecendo o Palácio Nacional de Sintra, em Portugal

A capela, de planta retangular e nave única, tem os muros revestidos por pintura ornamental e teto de madeira. Na cozinha, são visíveis arranques octogonais das monumentais chaminés – um dos pontos altos da visita ao palácio.

Diário de Viagem: Conhecendo o Palácio Nacional de Sintra, em Portugal
praça central em Sintra

Palácio Nacional de Sintra
Largo Rainha D. Amélia, tel. 351/ 219-237-300
Aberto diariamente das 9h30 às 18h.


 Veja mais posts desta Eurotrip 2016 - Diário de viagem por Dariane Vale

Chegando em Lisboa, Portugal
Óbidos em Portugal
Santuário de Fátima em Portugal
Lugares para conhecer em Lisboa
Mosteiro dos Jerônimos – Lisboa
Cascais – Litoral de Lisboa
Mérida – Espanha