Diário de viagem: Mosteiro dos Jerônimos

Diário de viagem: Mosteiro dos Jerônimos

Um dos mais belos pontos turísticos que conhecemos em Lisboa foi o Mosteiro dos Jerônimos. Foi aquele visual "impactante" de uma recém chegada na Europa, pois é algo monumental, grandioso e magnífico (assim como quase, quase tudo no Continente que visitamos!).
O Mosteiro dos Jerônimos começou a ser construído em 1501. Era na igreja que os navegantes pediam proteção antes de embarcar nas viagens além-mar.
O claustro do Mosteiro dos Jerônimos é decorado com cruzes, símbolos da arte da navegação e animais exóticos. Doado aos monges da Ordem de São Jerônimo, é hoje vulgarmente conhecido por Mosteiro dos Jerônimos.

O Mosteiro é um referente cultural que não escapou nem aos artistas, cronistas ou viajantes durante os seus cinco séculos de existência. Foi acolhimento e sepultura de reis, mais tarde de poetas. Hoje é admirado, não apenas como uma notável peça de arquitetura mas como parte integrante da cultura e identidade portuguesa.


O Mosteiro dos Jerônimos foi declarado Monumento Nacional em 1907 e, em 1983, a UNESCO classificou-o como "Patrimônio Cultural da Humanidade".
Situado próximo às margens do Rio Tejo, o Mosteiro dos Jerônimos em Lisboa é um dos pontos turísticos mais importantes visitados em Portugal. Aliás, o Mosteiro dos Jerônimos está localizado em uma das regiões mais turísticas de Lisboa ao lado de pontos como o Jardim da Praça do Império, O Planetário Calouste Gulbenkian, o Museu da Marinha e do Museu Nacional dos Coches.


Diário de viagem: Mosteiro dos Jerônimos

O Mosteiro dos Jerônimos é um dos ápices da arquitetura manuelina portuguesa com um imponente prédio com seus belos jardins ao redor. Além e ser Patrimônio da Humanidade, o mosteiro, também, foi eleito, em 2007, uma das sete maravilhas de Portugal.
Hoje, o Mosteiro dos Jerônimos serve como descanso para Dom Manuel I e seus descendentes na capela-mor da Igreja e capelas laterais ao mosteiro. 

Diário de viagem: Mosteiro dos Jerônimos




Diário de viagem: Mosteiro dos Jerônimos

Como falei em posts anteriores, viajamos com uma empresa de turismo (a CVC e Special Tours - e entramos no mosteiro com visita guiada, onde o guia explicou vários detalhes e curiosidades do local). Pelo que percebi, há sempre uma fila para entrar, mas ela é bem rápida. Preferi prestar atenção às explicações do guia, então foram poucas fotos na parte interna do mosteiro.


Diário de viagem: Mosteiro dos Jerônimos
Há, também, vários ingressos combos que são combinados com outras atrações turísticas de Lisboa como o Museu Nacional de Arqueologia, a Torre de Belém; Museu de Arte Popular; Museu Nacional de Etnologia; Museu dos Coches e outros. (fonte: dicas de lisboa)
Lá, encontram-se túmulos de personalidades bastante conhecidas por nós brasileiros: no lado norte, o de Vasco da Gama; no lado sul, o de Luís de Camões. 
Na Capela-Mor estão dois túmulos de mármore colocados sobre elefantes, neles estão os restos mortais do rei D. Manuel I e de sua mulher, a rainha D. Maria (lado norte); do seu filho, Rei D. João III e de sua mulher, a Rainha D. Catarina de Áustria (lado sul). É no claustro que encontramos o túmulo do poeta Fernando Pessoa, nascido em Lisboa (1888-1835) e autor do livro Mensagem com diversos poemas alusivos ao tema dos Descobrimentos. Seus restos mortais vieram para o Mosteiro em 1985.

Informações sobre o Mosteiro dos Jerônimos em Lisboa Portugal.
Endereço: Praça do Império, 1400, Lisboa.
Valores: Bilhete Individual: 10 € e 50% de desconto para idosos. 
Combos: 
Descobertas: Mosteiro dos Jerônimos / Torre de Belém: 12 €; 
Praça do Império: Mosteiro dos Jerônimos + Torre de Belém + Museu Nacional de Arqueologia: 16 €; 
Jerônimos: Mosteiro dos Jerônimos + Museu Nacional de Arqueologia: 12 €; Cais da História: Mosteiro dos Jerônimos + Torre de Belém + Museu Nacional de Arqueologia + Museu de Arte Popular + Museu Nacional de Etnologia + Museu dos Coches: 25 €.

Horário: outubro à abril das 10 às 17h e maio à setembro até 18:30h