Para manter o brilho no time...

Imagem: Google

A mulher está cada vez mais presente no mercado de trabalho. E essa presença chama a atenção de todos. Da chefia até os colegas de profissão. Temos uma presidenta no Brasil. E tanto ela quanto a primeira dama dos EUA têm cada passo, cada roupa, cada atitude comentados. Em escala menor, isso também acontece no ambiente de trabalho.

Principalmente quando as mulheres têm alguma responsabilidade acima da maioria da equipe ou quando estão em posição de chefia. Mas, convenhamos, mesmo sendo uma secretária ou assistente, a postura pode colaborar (ou não) para que a profissional suba na carreira. Resumo da ópera: mulheres, independentemente da posição em que estejam, elegância no traje e no trato podem trazer, sim, mudanças significativas para a carreira.

A participação feminina no mercado de trabalho no Brasil tem sido comemorada. A equiparação dos salários ainda é algo a ser conquistado. Mas a discussão aqui não é de salário e sim de como marcar presença e conquistar respeito com atitudes elegantes e visual invejável para alcançar maior reconhecimento na carreira.

Mulheres jovens têm conseguido conquistar de forma meteórica uma posição importante e, com a juventude à flor da pele, costumam enfrentar o dilema de como manter a elegância profissional, aparência condizente com sua idade, valorizando esse crescimento.

Ser elegante no ambiente profissional contempla usar uma roupa bacana e estar impecável às 8 horas da manhã. Mas não é só isso. Ser elegante implica saber se comportar de forma madura e sensata ao enfrentar situações de muita pressão. Educação e gentileza precisam estar na prioridade das relações de trabalho da mulher líder (e dos homens também) ou que busca esta posição na empresa em que atua.

Por muito tempo se defendia a postura masculinizada no ambiente corporativo, para se impor perante os colegas. Algumas executivas ficaram famosas por serem arrojadas e até explosivas. Mas já se percebeu que as características femininas colaboram, e muito, para um ambiente saudável de trabalho. Portanto, atingir o sucesso profissional, hoje em dia, não comporta mais se inspirar no estereótipo masculino. A humanização do ambiente de trabalho, tendência do momento, passa pelo feminino nas corporações.

Da mesma forma, está fora de cogitação usar atributos físicos para alcançar o que se deseja; ou desprezar, humilhar e assediar moralmente colegas ou subalternos. Atitudes extremamente deselegantes e inadequadas num bom ambiente de trabalho são terminantemente proibidas. Mas tem gente que se incomoda com posturas de "mulherzinha". Ou seja, é necessário saber dosar a delicadeza e usar da boa educação, mas falar firme e não se emocionar com facilidade é um dos atributos para alcançar o sucesso na empresa e o respeito dos colegas.

Ter uma boa postura e apresentação pessoal também contribui para transmitir elegância. Saber sentar-se de maneira adequada pode parecer uma coisa simples, mas não é.

Nada de escorregar na cadeira como se estivesse trabalhando no sofá de casa. Isso passa uma impressão de desânimo e acaba com a coluna. Sentar-se respeitando as regras da ergonomia ajuda a manter a elegância e a saúde. Cruzar as pernas também exige uma pequena regrinha. Nada de fazer "aquele nó" que muitas mulheres com pernas mais magras conseguem dar. Fica muito estranho esteticamente. E cuidado se a cruzada de pernas não revelar fendas e botões estressados. Andar com leveza é algo a se conquistar também. Muitas mulheres parecem estar marchando dentro do escritório.

Ser uma profissional elegante é algo que aprendemos e podemos colocar em prática ao longo dos anos, lendo livros da área, convivendo com outras pessoas, respeitando o próximo e sendo fiéis aos nossos valores.

Com o pé direito
Se o comportamento conta, a aparência fala pela pessoa. Saber vestir a roupa apropriada para o trabalho é fundamental para não começar o dia com o pé esquerdo. Vale a pena, ao escolher o guarda-roupa ideal, respeitar o perfil da sua empresa. Os setores da indústria, comércio ou serviços podem exigir um jeito mais ou menos formal de ser vestir. Mas elegância e informalidade também podem andar juntas. Tanto quanto a formalidade.

Independentemente da empresa, para ter um visual agradável e não errar ao se vestir para o trabalho evite:
  • Decotes profundos;
  • Roupas muito justas;
  • Saias curtas, do joelho para baixo é elegante;
  • Roupas arrojadas, muito coloridas ou fluorescentes;
  • Brilho;
  • Transparências;
  • Camisetas com dizeres;
  • Camisetas regata ou com alcinhas, para não expor ombros, braços volumosos (quebram a silhueta) e axilas desidratadas e descuidadas.
Em empresas mais formais preste atenção nos acessórios. Brincos grandes cheio de brilhos já não combinam com esse ambiente. Mesmo se você tiver um estilo mais chamativo, não os use, reserve-os para os momentos de lazer. Preste atenção também no caimento, no corte e na escolha do tecido, use e abuse de alfaiataria e camisa social.
Em empresas informais, até dá para abusar um pouco de cor e de camisetinhas, mas não fica elegante. Infelizmente. Mesmo com tanta "liberação", escolher peças confortáveis, mas que transmitam que você esteja arrumada (e trabalhando) é positivo; e que está no seu horário de almoço e não simplesmente passeando com as amigas no shopping, também, claro. Ao usar calças jeans, prefira as escuras. Malhas, camiseta polo, camisa social com a manga dobrada ou com a manga curta, também compõem o visual um pouco mais descolado, porém com estilo.
O importante é que, sendo formal ou informal, a profissional deve encarar a carreira com muita responsabilidade, e lembrar que a sua imagem é construída tanto pela maneira como se veste quanto pela forma como age com os colegas de trabalho e interage com a chefia. Tudo isso colabora para facilitar o seu sucesso na empresa em que trabalha.

Fonte: Revista Melhor (Renata Mello- consultora de etiqueta corporativa)