Rolezinho do Bem


A onda de encontro de jovens em shopping centers, os chamados "rolezinhos", se espalhou pelo País. Há pelo menos 11 mobilizações previstas em nove capitais, além de São Paulo, até fevereiro. Alguns organizadores assumem um discurso de luta contra "a desigualdade social" e "solidariedade aos pobres" nas redes sociais.

O movimento mobilizou até o Palácio do Planalto, que teme que a atividade promovida pelas redes sociais ganhe dimensões de grandes manifestações políticas e ganhem a adesão dos "black-blocs".

O medo da presidente Dilma Rousseff é que, além de atos de vandalismo, grupos ligados ao crime organizado se aproveitem dos encontros para cometer crimes. Segundo Dilma, é preciso entender o fenômeno para evitar que ele fuja do controle.

Para evitar esse tipo de problema, o Diário do Comércio lança um desafio: por que os grupos, em vez de marcarem reuniões nos shopping centers, não se mobilizam para um "rolezinho do bem"? Poderiam surgir ações interessantes, como grupos de jovens de tênis modernos e correntes no pescoço fazendo fila para doar sangue, criar hortas comunitárias, ajudar vítimas de enchentes, pedalar por aí em grupos ou outras ações que, em vez de assustar a população, provocariam aplausos. Abaixo, seguem algumas sugestões.


Fonte: Diário do Comércio

O Brasil precisa desse "rolezinho"! Estamos juntos!!!!