O caminho a ser mudado


Um dia, um bezerro precisou atravessar a floresta virgem para voltar a seu pasto.
Sendo um animal irracional, abriu uma trilha tortuosa, cheia de curvas, subindo e descendo colinas. No dia seguinte, um cão que passava por ali usou essa trilha para atravessar a floresta. Depois foi a vez de um carneiro, líder de um rebanho, que fez seus companheiros seguirem pela trilha torta.
Mais tarde, os homens começaram a usar esse caminho: entravam e saiam, viravam à esquerda e à direita, abaixando-se, desviando-se de obstáculos, reclamando e praguejando, até com razão, de caminhos tão mal traçados. Mas não fizeram nada para mudar a trilha. Esta acabou virando uma estradinha onde os pobres animais se esfalfavam sob pesadas cargas, sendo obrigados a percorrer em três horas uma distância que poderia ser vencida em uma, se a trilha não tivesse sido aberta por um bezerro.
Muitos anos se passaram e a estradinha tornou-se o principal acesso de um vilarejo, que depois se tornou uma grande cidade e parte desse trajeto do bezerro se transformou numa grande avenida de centro nervoso da grande metrópole. Por ela passaram a transitar diariamente milhares de pessoas, seguindo a trilha de bezerro de centenas de anos antes.

MORAL DA HISTÓRIA : Os homens têm a tendência de seguir, como cegos, as trilhas de bezerros que habitam a sua própria mente e pouco se esforçam para mudar o que já está feito. Com isso, podem percorrer, às vezes, distâncias muito longas no decurso de seus caminhos.

Não fique parado: abra você também novas trilhas, explore novos conhecimentos, defina objetivos específicos para ser um vencedor na grande batalha competitiva que é o mundo onde vivemos. 

Dê o primeiro passo. Você jamais pescará um peixe se não jogar o anzol e a isca na água.