EVITA - Mulher e Mito

Hoje vou transcrever a história do produtor cultural Alex Penedo, do Portal da Maquiagem.
É uma viagem incrível, vale a pena a leitura, e vale a pena incluir essa viagem na lista de "metas".

Ir à Buenos Aires e não conhecer o mito Eva Peron, é o mesmo que ir ao Vaticano e desconhecer o Papa. Parece exagero? Garanto que não. Mesmo após tantos anos da morte de "Evita", seu nome é ainda lembrado e é reverenciado por muitos - no próprio país e fora dele (quem não viu o filme título, estrelado, por Madonna?!).

Depois de tantas idas ao país "hermano", resolvi me dar como missão conhecer melhor a história dessa mulher, que, de bailarina e atriz de filmes B, foi transformada quase em santa, sendo chamada de "Mãe dos pobres". E qual melhor jeito de conhecer? Indo ao Museu Evita!

O museu fica numa bela mansão de três andares e uma torre, em meio aos jardins de Palermo, construída pela família Carabassa e datada do primeira década do século 20.





Ao adentrar o lugar, você realmente se transfere para o mundo "Evita". Na primeira parte do museu, você conhece a mulher, María Eva Duarte, caçula de cinco irmãos, nascida em uma pequena cidade do interior e que, aos 15 anos, foi para Buenos Aires com o sonho de ser atriz. Participou de algumas peças de teatro, capas de revista e filmes B. Em 1944, após um terremoto em San Juan, Eva participou de um festival para angariar fundos para as vítimas, tendo conhecido aí o então secretário do Trabalho e da Previdência e seu futuro marido, Juan Domingo Perón. No ano seguinte, os dois se casaram e deram início da escalada à presidência da Argentina.

Já como primeira-dama e aceita pelo povo, Evita criou a fundação que leva seu nome e passou a lutar pela causa das mulheres e dos mais pobres. Isso a tornou muito popular entre as classes baixas. Incansável, se dedicava por horas à distribuição de roupas, alimentos e máquinas de costura para mulheres que não tinham emprego. Ao mesmo tempo, era criticada e desprezada pela elite, que reprovava o populismo do casal Perón. Evita encantava multidões, fazendo comícios que costumavam reunir milhares de pessoas. Mesmo com esse discurso populista, adorava usar joias e roupas de grifes internacionais. Adorada pelo povo e já santificada em vida, Evita morreria de câncer em julho de 1952. A epopeia do sequestro do seu corpo é uma história à parte. Ele ficou desaparecido até 1971, quando se descobriu que estava enterrado na Itália sob um nome falso. Em 1974, foi devolvido para a Argentina, entregue à família e enterrado no chique cemitério da Recoleta.

Pelas 13 salas de exposição permanente e uma de exposições temporais, o museu repassa a história de Evita Perón desde sua infância, casamento, até a sua renúncia e morte.

Com uma agradável música ambiente, o museu exibe frases, fotos, matérias de jornais, objetos da época, joias, bonecas e elementos que pertenceram à Eva. Para quem é interessado em moda, os vestidos da ex-primeira-dama, especialmente o modelo desenhado pelo estilista Paco Jamandreu, está em exposição, além dos belos vestidos de gala de diferentes estilistas , sapatos, chapéus, condecorações e traduções do livro "La razón de mi vida", em vários idiomas. Para quem é interessado em arquitetura, pode-se desfrutar da arquitetura renascentista espanhola e italiana do lugar, do prédio andaluz e da cozinha, que parece que foi parada no tempo.







Por vezes, tenho que admitir, fiquei emocionado ao escutar seus discursos, ver o clamor do povo por sua candidatura, a tristeza da própria, com a voz embragada ao renunciar e ver as imagens de seu cortejo fúnebre seguido por milhões. Acaba-se entendendo um pouco o porquê do mito.

Uma boa surpresa é o restaurante que fica no Museu. Um charme de lugar, com um belo pátio, cheio de árvores. A comida é simples (destaque para os crepes), mas agradável e com preço justo. Comi um crepe que estava divino. Recomendo!




Para encerrar, não deixe de passar na livraria para a compra de suvenires, camisetas e outras lembranças do passeio.

Museu Evita
Horário: terça a domingo das 11 às 19 horas
Preço: 30 pesos
Horário do Restaurante: das 9 horas à meia noite
Visitas Guiadas: sujeito a consulta
Endereço: Lafinur 2988 (1425) Buenos Aires, Argentina


Queridas (os) seguidoras (es) gostaram da dica de viagem??? Ai fiquei na vontade de ir lá visitar o museu da Evita!!! Fiquei encantada com sua história e vocês?? Já conhecem este lugar belíssimo?

Beijos


Dayana Santiago
@DayanaSantiago





*****Fonte: Site Portal da Maquiagem