EVITA - Mulher e Mito

16 de ago de 2012

Hoje vou transcrever a história do produtor cultural Alex Penedo, do Portal da Maquiagem.
É uma viagem incrível, vale a pena a leitura, e vale a pena incluir essa viagem na lista de "metas".

Ir à Buenos Aires e não conhecer o mito Eva Peron, é o mesmo que ir ao Vaticano e desconhecer o Papa. Parece exagero? Garanto que não. Mesmo após tantos anos da morte de "Evita", seu nome é ainda lembrado e é reverenciado por muitos - no próprio país e fora dele (quem não viu o filme título, estrelado, por Madonna?!).

Depois de tantas idas ao país "hermano", resolvi me dar como missão conhecer melhor a história dessa mulher, que, de bailarina e atriz de filmes B, foi transformada quase em santa, sendo chamada de "Mãe dos pobres". E qual melhor jeito de conhecer? Indo ao Museu Evita!

O museu fica numa bela mansão de três andares e uma torre, em meio aos jardins de Palermo, construída pela família Carabassa e datada do primeira década do século 20.





Ao adentrar o lugar, você realmente se transfere para o mundo "Evita". Na primeira parte do museu, você conhece a mulher, María Eva Duarte, caçula de cinco irmãos, nascida em uma pequena cidade do interior e que, aos 15 anos, foi para Buenos Aires com o sonho de ser atriz. Participou de algumas peças de teatro, capas de revista e filmes B. Em 1944, após um terremoto em San Juan, Eva participou de um festival para angariar fundos para as vítimas, tendo conhecido aí o então secretário do Trabalho e da Previdência e seu futuro marido, Juan Domingo Perón. No ano seguinte, os dois se casaram e deram início da escalada à presidência da Argentina.

Já como primeira-dama e aceita pelo povo, Evita criou a fundação que leva seu nome e passou a lutar pela causa das mulheres e dos mais pobres. Isso a tornou muito popular entre as classes baixas. Incansável, se dedicava por horas à distribuição de roupas, alimentos e máquinas de costura para mulheres que não tinham emprego. Ao mesmo tempo, era criticada e desprezada pela elite, que reprovava o populismo do casal Perón. Evita encantava multidões, fazendo comícios que costumavam reunir milhares de pessoas. Mesmo com esse discurso populista, adorava usar joias e roupas de grifes internacionais. Adorada pelo povo e já santificada em vida, Evita morreria de câncer em julho de 1952. A epopeia do sequestro do seu corpo é uma história à parte. Ele ficou desaparecido até 1971, quando se descobriu que estava enterrado na Itália sob um nome falso. Em 1974, foi devolvido para a Argentina, entregue à família e enterrado no chique cemitério da Recoleta.

Pelas 13 salas de exposição permanente e uma de exposições temporais, o museu repassa a história de Evita Perón desde sua infância, casamento, até a sua renúncia e morte.

Com uma agradável música ambiente, o museu exibe frases, fotos, matérias de jornais, objetos da época, joias, bonecas e elementos que pertenceram à Eva. Para quem é interessado em moda, os vestidos da ex-primeira-dama, especialmente o modelo desenhado pelo estilista Paco Jamandreu, está em exposição, além dos belos vestidos de gala de diferentes estilistas , sapatos, chapéus, condecorações e traduções do livro "La razón de mi vida", em vários idiomas. Para quem é interessado em arquitetura, pode-se desfrutar da arquitetura renascentista espanhola e italiana do lugar, do prédio andaluz e da cozinha, que parece que foi parada no tempo.







Por vezes, tenho que admitir, fiquei emocionado ao escutar seus discursos, ver o clamor do povo por sua candidatura, a tristeza da própria, com a voz embragada ao renunciar e ver as imagens de seu cortejo fúnebre seguido por milhões. Acaba-se entendendo um pouco o porquê do mito.

Uma boa surpresa é o restaurante que fica no Museu. Um charme de lugar, com um belo pátio, cheio de árvores. A comida é simples (destaque para os crepes), mas agradável e com preço justo. Comi um crepe que estava divino. Recomendo!




Para encerrar, não deixe de passar na livraria para a compra de suvenires, camisetas e outras lembranças do passeio.

Museu Evita
Horário: terça a domingo das 11 às 19 horas
Preço: 30 pesos
Horário do Restaurante: das 9 horas à meia noite
Visitas Guiadas: sujeito a consulta
Endereço: Lafinur 2988 (1425) Buenos Aires, Argentina


Queridas (os) seguidoras (es) gostaram da dica de viagem??? Ai fiquei na vontade de ir lá visitar o museu da Evita!!! Fiquei encantada com sua história e vocês?? Já conhecem este lugar belíssimo?

Beijos


Dayana Santiago
@DayanaSantiago





*****Fonte: Site Portal da Maquiagem

6 comentários:

  1. Nossa!!! Que post show!!!
    Amo a história dessa mulher guerreira!!! Parabéns!!!
    Beijos,
    Flávia.
    www.flaviapersonalbeauty.com.br

    ResponderExcluir
  2. Amiga linda, amei o post e a dica, já deu vontade de viajar rsrsrs!! Bjs
    http://quemakeup.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Ameiii o post !! vc acredita que ja fui mil vezes no pais visinho rsrs.. e nunca fui ao museu, Ameii a dica e com certeza agora quero ir.

    Beijokas
    Ali

    omundodeali.com

    ResponderExcluir
  4. ameiii deve ser tudo de bom conhecer esse lindo lugar!!! otima postagem amiga beijao

    ResponderExcluir
  5. Oi, Dayana!

    Um amigo meu viajou à Argentina no ano passado e visitou muitos museus e até o cemitério onde Evita está enterrada. Ela é realmente muito amada por seu povo. Bacana demais!!!

    Um beijo enorme e ótimo fim de semana para vc e pra Dariane.

    ResponderExcluir
  6. Fiquei super curiosa para conhecer, muito bom o post, parabéns. Beijos

    www.ruthinhacardoso.com

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Conheça nossas redes sociais:
www.instagram.com/modaegestao
www.facebook.com/modaegestao
www.youtube.com/darianevale

DARIANE VALE - MODA E GESTÃO
LAYOUT POR LUSA AGÊNCIA DIGITAL