A Fábula da Branca de Neve


Na fábula da Branca de Neve, o papel dos anões nos dá uma boa pista da orientação por princípios. Sete pessoas distintas, com peculiaridades distintas, vivem de uma mesma atividade produtiva. A ideia é bem interessante e assustadora para alguns. Os anões nos ensinam a como conviver com pessoas diferentes de nós. A atividade na mina acontece debaixo da agitação do Dunga, da chatice do Zangado, da fragilidade do Atchim, das limitações do Dengoso, da alienação do Feliz, da lerdeza do Soneca e do cuidado das orientações do Mestre. Não se ouve falar que gostariam de viver “cada um a sua vida”. Ao final do expediente, todos seguem juntos: “eu vou, eu vou, para casa agora eu vou”. O projeto coletivo tem lá suas dificuldades, mas, ao final do dia, continuamos juntos, superando-nos e aprendendo a ser comunidade. Ninguém tira a vida de letra. Portanto, sabedoria é também ser capaz de falar e viver a partir dos próprios limites e dificuldades, desde que a motivação seja construir algo maior do que seu próprio egoísmo. Esse texto é do Coach Homero Reis e exemplifica perfeitamente como nosso dia a dia seria muito mais produtivo quando temos pensamentos coletivos, de união e entendendo as diferenças de cada um.
Essa é um dos princípios do Lider Coach, ele pode ajudar a empresa a ter um estilo de liderança evolutivo contribuindo para uma sociedade melhor e mais humana.




Conheça nossa fanpage!!