Moda é mais que roupa


Moda deixou de ser sinônimo de roupa há muito tempo. Estar na moda, portanto, refere-se muito mais a um jeito de ser, de agir, de consumir. Nossas roupas exprimem um comportamento, uma atitude diante da vida. Enviamos verdadeiras mensagens a priori, de acordo com a maneira que nos trajamos. Por exemplo, quando usamos t-shirts com fotos de líderes políticos, ou com mensagens nas mais diversas línguas, ou ainda com símbolos de caveiras, borboletas, bonequinhas, animais, escudos de times, arco-íris, etc. estamos usando esse moderno canal de comunicação.

Ela ficou tão flexível, tão democrática, que nos deu a liberdade de criar. Visto isso, estar na moda faz parte de um conceito muito mais amplo do que apenas uma cor ou um modelo. Além disso, moda significa uma extraordinária cadeia produtiva que movimenta somas inacreditáveis mundo afora. Ela representa uma fatia considerável da chamada economia criativa. Afinal, sai da cabeça dos estilistas uma abordagem muito peculiar que encanta a consumidores em todo o planeta.

Ousaria dizer que está na moda ser sustentável, solidário. Prova disso são os eventos temáticos pelo mundo, como o London Fashion Week, na Inglaterra, que doa parte de sua renda para a ONG Save the Children e ano passado escolheu grávidas do devastado Haiti para contemplar.

O The Green Show (que incorpora a cor verde em seu nome) em Nova York; as edições do Fashion Rio que direcionam parte do arrecadado para as Apaes (ano passado enviaram também contribuições para as vítimas das enchentes da Região Serrana do Rio) e o Visão da Moda, que ainda está para acontecer no Copacabana Palace, dia 13 de abril.

Em sua nona edição, este último reverte toda a renda para a Rio Inclui — Obra Social da Cidade do Rio de Janeiro, e se consolida no calendário dessa nova maneira de fazer moda, valendo-se da parceria de grandes marcas e inúmeros colaboradores. Nomes como Chanel, Valentino, Gucci, Kenzo, Louis Vuitton, Armani, etc. emprestam seu prestígio a esses eventos, que reúnem no mundo inteiro o espírito do bem.

Afinal, solidariedade nunca saiu nem jamais sairá de moda!

Claudia Cataldi é jornalista e apresentadora de TV