Vestidos em Paris: Criações das grifes

Bill Gayten, à frente da Dior trouxe elementos da alfaiataria masculina para uma coleção ultra feminina com vestidos (de cinturinha marcada) e saias fluidas e plissadas em variados tons de rosa. Destaque para os bordados.

Hussey Chalayan acredita que o inverno será colorido: a cartela de cor variava do vermelho vivo ao preto, passando pelo laranja, azul, verde, etc. Com corte simples e preciso, a silhueta ajustada ou retangular e algumas roupas contendo decotes e fendas (e perninhas de fora, como Angelina Jolie).

Lanvin, by Alber Elbaz. Vestidos poderosos de cintura delineada, coloridos e bem femininos foram exibidos na passarela. Muita pedraria, renda, saias retas e volumosas também foram vistas. Os acessórios vieram no maxi tamanho, fossem brincos ou colares. 
Roland Mouret lançou a própria linha de sapatos da grife. A marca apostou em uma modelagem mais próxima do corpo, porém não justa, peças com relevo, aplicações de peles e pelos, recortes e peplums (que estão com tudo... peplum é aquela saia extra). 

Yohji Yamamoto mostrou uma coleção bem dark e sensual, com um quê fetichista. Amarrações, fendas, decotes, comprimentos mini e peças desconstruídas foram alguns dos elementos da coleção. Para completar o ambiente, a cartela de cor se baseou em três cores: vermelho, roxo e, claro, o preto.


Fonte: JB

Raramente acompanho os desfiles de moda, apesar de amar.
Agora, os desfiles da Semana de Moda de Paris estão me encantando!!

Conheça nossa fan page: www.facebook.com/modaegestao