Cuidado com o que você acessa no trabalho

As ferramentas digitais se tornaram fundamentais no cotidiano de qualquer empresa. É praticamente impossível pensar em uma companhia sem computadores, dispositivos eletrônicos e internet. As facilidades proporcionadas pela tecnologia e pela rede mundial de computadores mudaram a forma de trabalhar. “Os recursos oferecidos aos colaboradores tem o objetivo de aumentar a produtividade e otimizar o tempo”, aponta Sidney Alves, gestor de carreira da empresa de recursos humanos RH Capital Curitiba.
Além do dinamismo, as ferramentas digitais contribuem para melhores resultados, maior desempenho dos funcionários e agilidade. Elas se tornaram instrumentos de trabalho imprescindíveis, mas por outro lado podem ser negativas se não forem usadas da maneira correta. “A má utilização destes recursos tem se tornando um motivo comum para a demissão por justa causa. Este fato preocupa tanto os empregados quanto os empregadores”, ressalta.
Segundo Sidney, o problema é quando os computadores e a internet são utilizados para fins particulares, como checar emails pessoais, entrar em redes sociais, conversar em programas de bate-papo e fazer atividades pessoais. “Com o surgimento de práticas irregulares e abusivas estes instrumentos acabam tendo a sua função completamente deturpada, gerando perdas para ambos os lados. A situação é ainda pior quando as normas da empresa são descumpridas”, alerta.
Muitas companhias estabelecem regras para o uso da internet e proíbem o acesso a determinados sites, especialmente os que ferem a moral e ética, como os sites pornográficos, por exemplo. “Para evitar que demissões aconteçam devido ao mau uso das ferramentas digitais, associadas a atos ilícitos, violações de obrigações legais ou contratuais, é necessário manter uma comunicação expressa em relação aos limites, modos de utilização e proibições relacionadas a estes instrumentos”, observa.
A elaboração de um regulamento interno, manual disciplinar ou documento de conduta de ética com regras bem claras no que diz respeito ao uso da internet e outras ferramentas ajuda a evitar o mau uso. “Os líderes também devem instruir seus subordinados para que não haja dúvidas sobre o que é e o que não é permitido. É comum a empresa estabelecer advertências e punições para as primeiras ocorrências e se houver reincidência a situação pode ficar mais séria”, acrescenta.

Fonte: Bagarai