Empresários de Brasília estão confiantes para expandir os negócios


Empresários de Brasília estão confiantes para expandir os negócios

Tudo depende da perspectiva. Ao mesmo tempo em que existem muitos desafios para a economia, tanto no cenário local quanto nacional, também há vários sinais positivos, como o aumento na oferta de vagas de emprego e a queda nas taxas de juros. No Distrito Federal, alguns empresários têm ganhado confiança para expandir as operações.
O diretor de marketing e vendas do Café do Sítio, Ricardo Barbosa, conta que a demanda pelo produto aumentou e, por isso, a fábrica está passando por uma reforma para otimizar a capacidade de produção. “Desde o início do ano, nós já investimos R$ 2 milhões nesse processo e devemos gastar mais R$ 2 milhões até dezembro de 2017, que é a data prevista para a conclusão da reforma”, destaca.
Os valores estão sendo utilizados para automatizar algumas atividades, aumentar a quantidade de equipamentos de estocagem e de transportadores de café, entre outras ações. “O investimento melhora o bem-estar dos nossos funcionários, aumenta a qualidade do produto, diminui as perdas no processo produtivo e reduz os custos com manutenção”, avalia Ricardo, que faz parte da família que comprou o Café do Sítio em 1967 e tornou a empresa uma das marcas mais conhecidas e tradicionais do DF.
Atualmente, eles comercializam cerca de 600 toneladas de café por mês. “Até o final do ano, temos a expectativa de crescimento de 15% nas vendas. Pretendemos intensificar a nossa presença principalmente nos mercados atacadistas, que são fornecedores para muitos comércios de varejo”, revela Ricardo. E a perspectiva é positiva: este mês, a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) elevou a previsão de vendas no comércio varejista. Antes, o aumento esperado para 2017 era de 1,8% e agora é de 2,2%.

Empresários de Brasília estão confiantes para expandir os negócios

Novos negócios também estão confiantes
E não são apenas empresas com décadas de história que estão ampliando as operações. Criada em 2016, a Selfstok faz parte do fenômeno de self storage, que é um aluguel de pequenos espaços, voltado para armazenagem de objetos (por exemplo, móveis que não estão sendo usados em casa ou pilhas de arquivos de um escritório). Esse tipo de “guarda-volumes melhorado” tem crescido em todo mundo e o DF não está de fora.
Apesar de recente, a Selfstok já passou por uma ampliação este ano. “Nós tivemos um aumento da demanda por boxes pequenos e resolvemos aumentar a quantidade deles, para atender melhor os nossos clientes”, ressalta o sócio Diogo Silveira. Para realizar os objetivos, foi necessário empregar R$ 1,5 milhão. O espaço, localizado na Cidade do Automóvel, agora conta com 414 boxes (antes eram 152 unidades), que vão de 2,25 m³ (equivalente a um armário, bom para guardar caixas, malas e pequenos objetos) a 40,5 m³ (ideal para empresas que precisam de um espaço extra para armazenar produtos e mercadorias).
Com visão de longo prazo, Diogo e o sócio, Bruno Lobo, conduzem a empresa sem afobação. “Encaramos esse investimento como parte de um plano de negócios para a unidade inteira. O tempo estimado de retorno para a unidade inteira é de 8 anos”, explica Diogo. No curto prazo, a dupla espera um crescimento de 20% do faturamento até o final de 2017.

Fonte: Assessoria de imprensa
fotos: divulgação
*post publicado espontaneamente; as informações são de responsabilidade da assessoria de imprensa