Yves Saint Laurent: sua trajetória

Falar sobre a história da moda é lembrar o sucesso de Yves Saint Laurent, um dos nomes mais importantes da alta costura do século XX. Nascido no dia 1º de agosto de 1936 em Orã, na Argélia, Saint Laurent demonstrou interesse pela moda desde criança, quando criava bonecas de papel. Já na adolescência, ele desenhava vestidos para sua mãe e as duas irmãs.

Aos 17 anos Saint Laurent se mudou para Paris para estudar moda na École de la Chambre Syndicale de la Haute Couture. Extremamente talentoso, ele se inscreveu num concurso em 1954 ganhando o prêmio principal e impressionando o editor da revista Vogue, Michel de Brunhoff.
Com a notoriedade do prêmio e o talento demonstrado tão prematuro, Christian Dior convida Saint Laurent para trabalhar com ele. Após a súbita morte de Dior em 1957, Saint Laurent é escolhido para assumir a alta costura da casa Dior, uma responsabilidade imensa pois a maison estava com problemas financeiros na época. A coleção de primavera de 1958 foi um grande sucesso e levou Saint Laurent para o estrelato internacional com o famoso "vestido trapézio", de ombros estreitos e saia evasê - que se tornou um clássico na época.
Em 1960, Saint Laurent foi convocado pelo exército francês para servir na guerra da Argélia. Após 20 dias, ele foi internado em um hospital para tratamento psiquiátrico depois de sofrer preconceito de outros soldados. Após sair da Guerra em 1961 ele lança sua própria maison numa parceria com Pierre Bergé, que se tornou seu companheiro por anos.
Nos anos 60 e 70, a marca se tornou famosa em todo o mundo por sua sofisticação. Saint Laurent contribuiu para formatar e solidificar a moda unisex com o lançamento do smocking feminino. Com isso, ele ajuda a difundir a proposta do unisex na alta costura, permitindo dali em diante que as mulheres usassem calças compridas. Saint Laurent transformou o blazer, o casaquinho de marinheiro e o vestido-camisa em itens clássicos do guarda-roupa feminino.
Segundo João Braga, professor de história da moda e escritor do livro "Um século de Moda", Saint Laurent ousou e transgrediu em uma série de quesitos. "Ele sempre foi um transgressor, uma das grandes contribuições era sempre estar além de seu próprio tempo. Saint Laurent não seguia um ar de um tempo, ele ajudava a definir um novo ar de um tempo" , enfatiza o historiador.
O interesse de Saint Laurent pela arte foi transmitido no icônico vestido Mondrian. Lançado em 1965, o vestido em jérsei branco de silhueta reta com linhas verticais e horizontais pretas e espaços com as cores primárias homenageava Piet Mondrian, um importante pintor holandês. Saint Laurent sempre foi um inovador, sempre revolucionando a moda. Em 1966, ele foi o pioneiro ao abrir uma butique prêt-à-porter, a YSL Rive Gauche. O designer foi também o primeiro estilista do mundo a usar manequins negras em desfiles de moda.
A carreira de Saint Laurent inclui diversos momentos controversos, por exemplo, quando ele mesmo pousou nu para o lançamento de um perfume, uma atitute muito ousada para a época. A fragrância Opium lançada em 1977 também causou polêmica, pois muitos alegaram que fazia apologia as drogas. "Houve um desconforto muito grande, especialmente pelos chineses que até boicotaram a empresa que produziu o perfume devido ao nome escolhido" disse Braga.
Com mais de 40 anos de carreira, ele decidiu se afastar do mundo da moda em janeiro de 2002, quando fez um desfile com a retrospectiva de suas roupas. E foi assim durante toda sua trajetória, fez mais de 80 coleções de alta costura, sempre inovando e incluindo a arte em suas criações. O estilista faleceu em 1º de junho de 2008 em decorrência de um câncer cerebral.
Já dizia Pierre Bergé, seu parceiro e sócio por anos "Chanel deu liberdade às mulheres. Yves Saint Laurent lhes deu poder". 

Fonte: Yahoo

Beijos, amores!!! E sigam nosso instagram!!!!