Criação de Moda e as Perspectivas no padrão Fast Fashion

A alta movimentação de pessoas entre as cidades que sediarão a Copa do Mundo da Fifa 2014 cria oportunidades para o comércio de moda estruturado no padrão Fast Fashion.

A chamada moda fast fashion exige criação rápida e o uso de tecnologia e matérias- primas locais, além de itens da cultura local, o que fortalece o segmento para atendimento das demandas geradas pelos grandes eventos esportivos. Assim, a pesquisa e geração de moda, produção de croquis e serviços similares crescerão por dois motivos:

1) A capacidade de produção das empresas que já utilizam esses serviços e que, nos próximos anos, estarão incrementando as coleções tanto pela quantidade quanto pela diversificação, estará voltada para a fabricação dos produtos, deixando a pesquisa, criação e desenhos de croqui para empresas especializadas nesse processo;

2) A demanda provocada pelo grupo de empresas que ainda não utilizam esses serviços e que estarão, utilizando-os de forma regular.

Os dois motivos acima se originam do movimento implementado por algumas lojas de departamentos que procuram atender à demanda crescente dos consumidores por artigos que estejam na moda.


A produção de moda rápida ou fast fashion tem sido utilizada por grandes redes de lojas que comercializam confecções, bolsas e acessórios estimulando, por consequência, a criação permanente e a pesquisa por novidades no campo de matérias-primas e de utilização de croquis elaborados e que favoreçam a produção rápida pelos fabricantes.

O crescimento do mercado possui um termômetro bastante eficiente, que são os eventos de moda. Mais conhecidos como fashion weeks, ou semanas de moda, que ano após ano crescem em número e qualidade em várias cidades do Brasil, eles indicam que as empresas que criam moda estão presentes no mercado brasileiro e as confecções e similares necessitam dos seus serviços.

O crescimento do segmento está intimamente ligado ao crescimento da fabricação de artigos da moda. Nos últimos anos, ocorreram mudanças profundas no segmento de moda no Brasil notadamente a partir da divulgação dos artigos criados no país e que tiveram grande divulgação em eventos realizados principalmente em São Paulo e Rio de Janeiro. Esses eventos incorporaram a participação de estilistas internacionais permitindo, assim, que houvesse crescimento dos profissionais brasileiros envolvidos com criação e pesquisa de moda.

É importante registrar que a maioria das empresas de pequeno porte do segmento de vestuário ainda não utiliza os serviços de criação de moda de outras empresas. Limitam-se a realizar pequenas adaptações em modelos existentes no mercado, geralmente comercializados nas lojas de varejo ou nas revistas especializadas, ou até aqueles divulgados pelas redes de televisão. A prática é adquirir tecidos indicados pelos fornecedores e fabricar croquis que não facilitam a fabricação das peças. Esse comportamento é o que demonstra a existência de um grande mercado consumidor para as pequenas empresas do segmento de criação.

Essas informações foram extraídas da publicação Ideias de Negócios para 2014 – Criação de Moda. Nela, o empreendedor poderá obter orientação acerca de assuntos como divulgação, clientes, estrutura, custos e também dicas de um especialista.
Fonte: Sebrae