Ernst & Young Terco lança programa para apoiar mulher empreendedora


A Ernst & Young Terco está lançando no Brasil o programa Winning Women, de apoio ao empreendedorismo feminino e que reflete o comprometimento da empresa com a igualdade de gênero e o fortalecimento das mulheres no ambiente corporativo. O programa, que tem início hoje e irá reconhecer as primeiras mulheres em agosto de 2013, visa criar uma rede influente de mulheres notáveis​​ e partilhar suas histórias no Brasil e no exterior. Além disso, ainda está nos planos conectar as empreendedoras com outras organizações e indivíduos relevantes que possam apoiar suas empresas, organizações ou comunidades na jornada para o crescimento.

Para participar é necessário que a empresa seja de origem brasileira, de preferência em áreas fora de São Paulo e Rio de Janeiro, médio porte e que sejam de setores em que as mulheres têm mais dificuldades para estabelecer novos negócios e expandir. As 15 empreendedoras selecionadas pelo programa serão avaliadas por um conselho formado por líderes empresariais, incluindo participantes, jurados das edições anteriores do Programa Empreendedor do Ano e sócias da Ernst & Young Terco.

Nos Estados Unidos, o Winning Women já está na 5ª edição. Outros países também promovem: Indonésia (3ª edição) e Reino Unido e África do Sul (primeira vez).

Além do programa, o estudo mais recente da multinacional High achievers: recognizing the power of women to spur business and economic growth aborda o que as mulheres têm realizado nos esportes, o impacto da presença feminina em todos os segmentos dos negócios e na sociedade, além dosrendimentos globais das mulheres terem a estimativa de crescer de US$ 13 trilhões para US$ 18 trilhões nos próximos cinco anos – o aumento corresponde a quase duas vezes ao PIB de China e Índia juntas.

“Como podemos aproveitar o imenso potencial das mulheres para a melhoria da sociedade e da economia? Apoiar a sua participação nos esportes e na educação, incentivar iniciativas que aumentem a sua presença na liderança e nos conselhos, e ajudá-las a começar suas empresas são algumas das maneiras”, afirma Jorge Menegassi, CEO da Ernst & Young Terco.

Mesmo com a expectativa positiva, ainda há desafios para as mulheres no ambiente profissional: cerca de 1 bilhão delas não estão qualificadas ou não contam com o apoio da família e da comunidade para participar da economia global. A maioria delas tem entre 20 e 65 anos e vivem em mercados emergentes. No Brasil, a Ernst & Young Terco, além do lançamento do Winning Women, mantém o programa Career Watch, que tem como objetivo apoiar o desenvolvimento profissional das mulheres. Em 2011, foram 34 participantes.

Alguns dos destaques do estudo incluem:


Equidade de gênero nos esportes

►Pela primeira vez na história dos Jogos Olímpicos, em Londres 2012, todos os países que participaram incluíram mulheres nas delegações.

► As mulheres representaram mais de 40% do número total de atletas nos Jogos Olímpicos de 2012.

► As atletas de Arábia Saudita, Brunei e Qatar participaram dos Jogos Olímpicos pela primeira vez na história. O time dos Estados Unidos era formado em sua maioria por mulheres (268); homens (261).

► O esporte pode ser um fator de integração na sociedade, porém, em muitos países, as mulheresnão podem praticar e nem assumir cargos em organismos desportivos.

No desenvolvimento da carreira


► De acordo com uma pesquisa feita pela MassMutual Fundos Financeiros, com mulheres executivas,81% praticaram esportes durante o crescimento e 69% disseram que o esporte as ajudou a desenvolver habilidades de liderança que contribuíram para o sucesso profissional.

No mundo dos negócios

► Em contraste com as estatísticas que mostram as mulheres atingindo o auge no esporte por meio da participação em Jogos Olimpícos ou os progressos alcançados na educação das mulheres, o número de CEOs do sexo feminino de empresas, segundo a Fortune 500, dobrou na última década, mas em 2012, é ainda apenas 3,6% do total.

► Apenas 11,1% dos administradores de empresas são mulheres nas economias industrializadas. Nos mercados de rápido crescimento, o número cai para 7,2%.

Brasil

► O país tem uma das maiores taxas de empreendedorismo feminino dentre os 54 países que integram o GEM (Global Entrepreneurship Monitor).

►A proporção de empreendedoras iniciais, no entanto, supera a de empreendedoras estabelecidas;

►A flexibilidade de jornada e possibilidade de ficar mais tempo com os filhos são fatores que contribuem muito com o empreendedorismo feminino no Brasil;

► Hoje, elas são responsáveis pelo sustento de 35% dos lares brasileiros.


Sobre a Ernst & Young e sobre a Ernst & Young Terco:

A Ernst & Young é líder global em serviços de Auditoria, Impostos, Transações Corporativas e Assessoria. Em todo o mundo, nossos 152 mil colaboradores estão unidos por valores pautados pela ética e pelo compromisso constante com a qualidade. Nosso diferencial consiste em ajudar nossos colaboradores, clientes e as comunidades com as quais interagimos a atingir todo o seu potencial, em um mundo cada vez mais integrado e competitivo.

No Brasil, a Ernst & Young Terco é a mais completa empresa de Auditoria e Assessoria, com 4.300 profissionais que dão suporte e atendimento a mais de 3.400 clientes de pequeno, médio e grande porte.


Em 2011, a Ernst & Young Terco foi escolhida como Apoiadora Oficial dos Jogos Olímpicos Rio 2016 e fornecedora exclusiva de serviços de Assessoria e Auditoria para o Comitê Organizador. O alinhamento dos valores do Movimento Olímpico e da Ernst & Young Terco foi decisivo nessa escolha.



Visite o site: http://www.ey.com.br