Com Paixão ou Compaixão?

O que seria ter compaixão? No dicionário significa o seguinte:

Compaixão (do latim compassione) pode ser descrito como uma compreensão do estado emocional de outrem. A compaixão freqüentemente combina-se a um desejo de aliviar ou minorar o sofrimento de outra pessoa, bem como demonstrar especial gentileza com aqueles que sofrem. A compaixão pode levar alguém a sentir empatia por outra pessoa. A compaixão é freqüentemente caracterizada através de ações, na qual uma pessoa agindo com espírito de compaixão busca ajudar aqueles pelos quais se compadece.

E o contrário de compaixão? Crueldade, dureza, frieza, indiferença, secura de coração, insensibilidade... O prazer de maltratar os outros.

Percebo que muitas vezes em nome do amor acabamos maltratando justamente aquele que mais amamos. Em nome do querer o "bem" do outro, tudo é permitido: comentar, maldizer, atormentar, julgar, ferir, magoar, mesmo quando isso signifique matar os sonhos das pessoas, não ter nenhuma compaixão. E por incrível que pareça é sempre em nome do Amor.

O querer o bem do outro, tudo justifica, e então esquecemos a compaixão e em nome de agir "com paixão" criamos situações muitas vezes constrangedoras a quem amamos.

Se compaixão é colocar-se no lugar do outro, será que exercemos isso com nossa família? Às vezes tratamos muito bem a nossos companheiros de trabalho, amigos, conhecidos, porteiros e até mesmo inimigos, mas esquecemos de aliviar o sofrimento de quem está exatamente ali do nosso lado todo o tempo. É tão óbvio que os amamos que fica claro que nem é necessário lembrarmo-nos de palavras de carinho, conforto, solidariedade, amor...

Amai e vigiai, diz a Bíblia. Devemos vigiar nossas palavras que muitas vezes tornam-se "mal ditas" e "malditas", acabando por distanciar-nos das pessoas que mais deveríamos amar. Devemos repensar o sentido de solidariedade em família.

A compaixão tem má reputação; ninguém gosta de ser objeto dela, nem tampouco de senti-la. Isso a distingue nitidamente, por exemplo, da generosidade. Compadecer é sofrer. Como a compaixão poderia ser boa?

Poderia sim, amigos, este "produto" está em falta no mercado, talvez devesse comprá-la e dividi-la com todos. A construção da paz começa no coração das pessoas e tem seu fundamento no amor, que tem suas raízes na gestação e na primeira infância, e se transforma em fraternidade e responsabilidade social. A paz é uma conquista coletiva. Ela tem lugar quando encorajamos as pessoas, quando promovemos os valores culturais e éticos, as atitudes e práticas da busca do bem comum.

Uma proposta diferente nesta Páscoa! Em nome daquele que deu a vida por nós COM PAIXÃO vamos nos motivar a viver a COMPAIXÃO!