Troféu SPFW Inverno 2011

 
Olá pessoal!!
Amo a moda, adoro acompanhar as novidades, mas como não sou especialista, não costumo dar pitaco nas temporadas de moda. Acompanho os desfiles pela GNT, adoro os comentários e as entrevistas do canal na cobertura do SPFW. Mas esse artigo escrito pela Deborah Bresser, do Ig Moda, me chamou a atençao, por isso compartilho com vocês!!! Grande abraço!!


Com vocês, mais uma premiação divertida e bem-humorada de tudo o que vimos e vivemos nestes últimos seis dias dentro da Bienal. Em junho tem mais…
Quem brilhou mais:  Os fotógrafos. Nunca se falou tanto neles como nesta temporada. Vaiaram celebridades, foram acusados de mal educados, aguentaram hoooras de espera de pé, sem água, naquele sufoco, e ainda protagonizaram um protesto no último desfile por conta dos furtos de equipamentos que sempre acontecem na SPFW. A galera do pit deu um verdadeiro e compreensível piti desta vez.
Quem roubou a cena: Os seguranças. O tal ‘choque de ordem’, que apertou a exigência de convites, gerou uma epidemia da síndrome do pequeno poder entre os grandões. A presença de celebs internacionais também colaborou para a truculência dos  homens de preto sob pretexto de proteger os convidados ilustres.
Mico da temporada: O não-desfile de Ashton Kutcher. Trazer o cara de Hollywood para mandar tchauzinho pra plateia?  Não, né?
Troféu eclipse: Paris Hilton. A luz das outras estrelas apagou a dela…
Taça eu vim e nem sei pra onde: Geisy Arruda. A garota do vestido pink estava na Fila A do desfile de Fause Haten, mas não sabia nem qual era o desfile, o estilista, o evento… nada.
Troféu Eu sou você amanhã: Christina Aguilera. Ela é ou não é uma versão gringa da Geisy Arruda?
Taça onde eu vim parar: Demi Moore. A mulher escandalosamente maravilhosa de Ashton Kutcher fez cara de “voltem para a jaula”  quando ouviu os uivos das vaias dos fotógrafos. Sem contar que trouxeram a estrela para ver um desfile da Colcci….
Troféu Bolshoi: Fause Haten, que promoveu um espetáculo de dança como parte de seu desfile. Bailarino gosta de dançar seja onde for, né? Bom para eles…
Troféu Laerte:  Lea T, ryca, phyna, chique e elegante, dresscode  versão top internacional. Só atrapalhou porque ficou todo mundo esperando ela entrar no desfile de Alexandre Herchcovitch, e ninguém nem viu a roupa. Só queriam ver Lea T.
Melhor cenário: O espelho d’água montado na Bienal e a chuva artificial da Cavalera. Na falta de uma locação externa…
Melhor trilha sonora: Lobão para Reserva. Tudo bem que o povo estava mais era querendo que ele fizesse um show, e nem todos olharam para as roupas, mas valeu a performance.
Modelo da vez, toda vez: Gisele Bündchen, sempre que vem, causa. E olha que desta vez ela só abriu o famigerado desfile da Colcci, mas como veio de hot pant e corpete, como há muito não se via…
Troféu Lexotan: Para todos os que, como nós, precisaram enfrentar a tal ‘fila das grifis’  na sala de imprensa para retirar convites com as assessorias de imprensa. E que depois ainda tinham de ficar ao redor do cercadinho no help desk mendigando uma entradinha… Haja paciência.
Taça Tavi:  Para as IT blogueiras da Fila A, com todo meu amor e carinho, e a torcida para que, algum dia, possam virar ‘she’ ou ‘he’…
Troféu vale-transporte: Reinaldo Lourenço. Sempre vale a viagem até a Faap para ver o desfile dele, mas desta vez o estilista caprichou.
Melhor coleção feminina: Reinaldo Lourenço. A calça de alfaiataria de couro (foto)e os bordados são, de longe, os mais bem-feitos do inverno 2011.
Taça  Eu Sei o que Vocês Fizeram no Inverno Passado: Do Estilista. Essa história de auto-referência às vezes compromete. Sommer, que já fez coleções tão impactantes, desta vez abriu o baú e pegou o que tinha encalhado. Só pode ser…
Troféu Mary Poppins:  Amapô. Vai fazer mistura de tecido assim lá na passarela. Supercalifragilisticexpialidocious mil vezes!!!
Taça ‘eu não desisto nunca’: Iódice. Toda temporada é aquela mesma quantidade de um ombro só, cinturas marcadas, longos esvoaçantes, micros insinuantes, tudo ao mesmo tempo agora. Parece até essas peruas que se montam pra arrumar marido rico, né?
Troféu Carpideiras de Ouro: Para Alexandre Herchcovich, que criou a versão luto de luxo com sua coleção de inverno 2011.
Taça ajoelhou tem de rezar: João Pimenta. Se ele não for excomungado nem queimado na fogueira, ainda vai dar muito o que falar. Precisa e bem construída, a coleção de noviços rebeldes foi uma das melhores da temporada.
Taça agulha de ouro: Lucas Nascimento. Como ele mostrou aqui coleção com a marca Ghetz, a gente dá uma roubada no Troféu e arruma um jeito de premiar o estilista, que desponta como o maior talento atual da moda brasileira. Ele desfilou no Rio com sua marca, mas poderia estar em Paris.
Troféu ZZZZZ:  Osklen. Se era para emocionar a plateia com o video do incêndio na fábrica (que foi uma tragédia, isso ninguém nega), o resultado na passarela foi o avesso. A coleção veio sonolenta ao revisitar suas cinzas. E bote cinza nisso, hein, Brasil. Oskar Metsavaht é o rei do moletom vendido a preço de seda pura.
Troféu sacolinha: O relógio da Mondaine distribuído por Reinaldo Lourenço. Parceiro generoso é isso aí.
Melhor coleção masculina: Cabe um debate. A Reserva fez uma coleção impecável para vestir os homens de hoje, de garotões a quarentões metidos a garotões. Mas é de João Pimenta a passarela com mais ideias novas para o armário dos rapazes, inclusive para os que não vão sair de dentro dele nunca.
Hit do pit: ‘ARIADNA’…. Grito solto por algum fotógrafo antes de o desfile feminino de Herchcovitch (que teria a participação da transex e top Lea T) começar.
Melhor estampa: Os azulejos de Athos Bulcão transformados em roupa por Ronaldo Fraga, que mais uma vez deu uma aula de brasilidade sem apelação.
Melhor acessório: A bolsa marmita de Maria Bonita. Danielle Jensen (assim como Ronaldo Fraga) também se inspirou em Brasília para fazer sua coleção, mas olhou para os candangos e trouxe deles a versão cluch do marmitex.
Taça Victor Valentin: André Lima. Assim como Ariclenes, da novela Tititi, o estilista parece que está sempre fazendo roupa para vestir boneca. É tanto laço, tanto drapeado, tanto franzido, que se você não for a Barbie vai ser difícil de assimilar.
Troféu Erasmo Carlos: Bi campeonato para Marcelo Sommer, Do Estilista, com seu persistente casting de um milhão de amigas.
Troféu Bofiscândalo: para Asthon Kutcher. Ele pode não ter desfilado, mas não dá para negar que aqueles quatro palmos de pessoa de ombro a ombro são todo um Hopi Hari. Feliz da Demi, né, Brasil?
Taça não vai dar para viver sem: uma roupa rendada e uma peça de couro. T.O.D.O mundo fez alguma. É só achar a marca que combine mais com você e se jogar. Feliz inverno 2011 para todos.

Fonte: IG MODA