Como os valores organizacionais fortalecem a empresa?

Por que organizações que atuam no mesmo segmento e, algumas vezes possuem uma estrutura física semelhantes, tornam-se tão diferentes? A resposta para esta pergunta pode resumir-se a uma palavra: pessoas. Se antes os funcionários tinham apenas a obrigação de receber e cumprir ordens, hoje se identifica no capital humano um diferencial significativo para o sucesso, o fracasso ou, melhor, a própria sobrevivência de uma companhia.
Dentro desse contexto, surgem em cena os chamados valores organizacionais que correspondem a um conjunto de crenças e atitudes explícitas que dão uma personalidade à empresa e definem os comportamentos tanto institucionais quanto os individuais. Na Mary Kay, por exemplo, os valores corporativos não ficam emoldurados e expostos na recepção ou nas salas dos diretores. Eles saem do papel para a prática. Isso pode ser facilmente constatado porque a filosofia da empresa tornou os valores na base para o próprio negócio.
É fundamental lembrar que os valores estão estreitamente relacionados à ética, à honestidade, à transparência, à qualidade, à valorização das pessoas, ao respeito ao cliente. Hoje, mais um indicador se faz presente aos valores corporativos: a responsabilidade social. Se, por ventura, uma companhia fecha os olhos para seus valores, as consequências certamente não serão positivas, uma vez que dificilmente uma organização privada sobreviveria no mercado por muito tempo. Ou seja, um risco que empresário algum gostaria de ficar vulnerável.
Segundo Alvaro Polanco, diretor-geral da Mary Kay no Brasil, a empresa acredita que através dos seus valores é possível alcançar patamares que ajudam a organização a ter diferenciais significativos em relação aos concorrentes. "A divulgação dos valores acontece por meio das nossas atitudes diárias tanto com o público interno como o externo. Buscamos, no mercado, profissionais que estejam aliados como que acreditamos", complementa.
A Mary Kay é uma companhia que atua no segmento de cuidados com a pele e maquiagem e foi fundada em 1963, no Texas, hoje está presente em 35 países. No Brasil, desde 1998, conta com 13 diretoras nacionais de vendas independentes, presentes nos estados de Sergipe, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Ceará, Goiás e São Paulo.
No dia a dia, os colaboradores convivem com quatro valores de sustentação que são:
Espírito de Equipe - Hoje, pensar em uma empresa competitiva sem a presença do espírito de equipe é o mesmo que imaginar que viver em sociedade tornou-se uma característica inerente ao ser humano. Por isso, na Mary Kay adotou o "Espírito de Equipe" que se caracteriza por ajudar os demais colegas de trabalho vai além das estruturas dos escritórios. A recompensa de "estender as mãos" para as outras pessoas ou e receber uma ato de bondade conduz a empresa a uma atmosfera de confiança, carinho e construção de bons relacionamentos.
Regra de Outro - Esse valor tem como lema "Faça aos outros aquilo que você gostaria que fizesse a você". Esse princípio tem resistido principalmente às ações do tempo e se tornou a base das Práticas de Liderança. "Acreditamos em um ambiente de trabalho em equipe, de respeito pelos outros e de relacionamentos baseados em confiança e honestidade", pontua Alvaro Polanco.
Faça-me Sentir Importante - Mary Kay Ash, fundadora da companhia, uma vez comentou: "É tão simples e causa um grande impacto. Imagine que cada pessoa que encontrar tem uma placa em volta do pescoço que diz: Faça-me sentir importante". Esse valor não ficou apenas no discurso e se apresenta como uma realidade - desde ser reconhecido por um trabalho bem feito até contar com a amizade de pessoas que se preocupam com o colaborador.
Equilíbrio de Prioridades - A preocupação de construir uma vida equilibrada em quem atua na companhia é o quarto valor de destaque na companhia. No dia a dia, e empresa partilha as suas prioridades de "Fé em primeiro lugar, família em segundo e carreira em terceiro". "Seguindo esta tradição, temos a preocupação de incentivar os colaboradores a encontrar o equilíbrio adequado das prioridades em suas vidas, como parte vital de nossa cultura ao redor do mundo. Entendemos que uma carreira de sucesso é apenas uma parte de uma vida equilibrada", diz o diretor-geral da empresa.
Para assegurar que os valores corporativos estejam constantemente presentes na rotina dos colaboradores e das consultoras de beleza independentes, por meio de publicações dirigidas. Em cada informação repassada a esses diferentes públicos, sempre se destaca as consultoras não são funcionárias da companhia, ou seja, elas contam com seu negócio independente, mas os valores se estendem a elas. Os valores corporativos também são enfatizados durante a realização dos eventos da companhia para a força de vendas independente.
Para avaliar se os valores corporativos fazem, de fato, parte do dia a dia da Mary Kay, a área de Recursos Humanos recorre à aplicação da pesquisa de clima organizacional que é capaz de mensurar a aceitação dos profissionais em relação à própria identidade da companhia.
Ao ser indagado sobre a importância dos valores organizacionais para a Gestão de Pessoas, Alvaro Polanco remete-se à fundadora da organização que sempre deixou bem claro que os valores e a filosofia sempre seriam os diferenciais da companhia. "Nossa missão é enriquecer a vida das mulheres, para que cada uma encontre a beleza do seu jeito para ser feliz no que faz. Nossos colaboradores praticam isto em seu trabalho em todas as áreas e passamos isso a nossa força de vendas independente por meio de reconhecimentos, dicas e orientações para seu negócio independente", ressalta.
Por fim, ele assinala que todos os valores da empresa levam os profissionais a trabalharem juntos e em harmonia e relembra uma citação da própria Mary Kay Ash: "Não é apenas uma pessoa ou um exército que podem chegar ao sucesso. É o trabalho em equipe que nos leva ao sucesso e à felicidade".

Por Patricia Bisco, RH