Dinheiro compra felicidade, e custa R$ 130 mil...

Reportagem da Zero Hora de hoje, achei muito interessante:

Dizem que dinheiro não compra felicidade, mas parece que isso não é exatamente verdade. Pelo menos até certo ponto. O bem-estar emocional das pessoas — a felicidade — aumenta junto com a renda quando elas ganham até aproximadamente US$ 75 mil por ano (quantia equivalente a cerca de R$ 130 mil), afirmam pesquisadores em estudo a ser publicado na edição de hoje da revista Proceedings (Procedimentos), da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos.

— Para quem ganha menos do que esse valor, é muito difícil ser feliz — diz Angus Deaton, economista da Universidade Princeton, Estado de Nova Jérsei.

Deaton e o psicólogo Daniel Kahneman analisaram pesquisas realizadas com 450 mil norte-americanos entre 2008 e o ano passado para a elaboração do Índice Gallup-Healthways de Bem-estar, que incluem perguntas sobre a felicidade cotidiana e o nível geral de satisfação das pessoas com a vida.

— A felicidade aumenta com a renda, mas o efeito se estabiliza na casa dos US$ 75 mil — disse Deaton.

Por outro lado, o nível geral do senso de sucesso aumenta à medida que a renda aumenta acima desse ponto.

— Dar às pessoas mais renda além dos US$ 75 mil não vai fazer muito para melhorar o humor no dia a dia, mas vai fazer com que sintam que têm uma vida melhor — disse Deaton.

Questionamentos

Kahneman, psicólogo que já recebeu um Prêmio Nobel, e Deaton realizaram o estudo para descobrir como o crescimento econômico e as políticas econômicas afetam as pessoas.

Existem questionamentos sobre o valor do crescimento para os indivíduos, e a dúvida está longe de ser resolvida, reconhece Deaton.

A pesquisa também reforçou o dado de estudos anteriores, de que, de maneira geral, as pessoas estão bastante satisfeitas com suas vidas. Em outra pesquisa, os EUA e o Brasil estiveram entre as nações mais felizes, atrás dos países como Canadá, Costa Rica e Suíça.
(Zero Hora)
Pode até ser verdade, mas se levarmos em conta essa pesquisa, a maioria das pessoas no Brasil não totalmente felizes...